terça-feira, 30 de setembro de 2008

Ando por aí, acolá, sem destino.
Vem a puta ter comigo - há quantas linhas não escrevia sobre ti - tenta vender os seus préstimos.
Não lhe dou ar da minha graça.
Continuo o passeio como quem toca um nocturno de Chopin.
Insistes em me seguir.
Respondo que não. ris-te, dizes que me sente a teu lado.
Queres que te ensine sobre o amor.
Como poderei eu ensinar tal sentimento a alguém que fornica com o dinheiro?
Ainda que te falasse do ardor que é o amor não entenderias.
Dizes-me que eu não entendo nada, que sei eu de sentimentos?
Digo-te que nada poderei saber talvez, mas ao contrário de ti tenho alguém que me ama.
Ris-te afirmando que todos aqueles que te deitas também te amam durante os minutos que contigo estão.
O luar desce sob nós, acendemos um cigarro.
Olha um cliente que te chama, vai com ele porque dinheiro não te irei pagar.
Olhas-me e choras, dizes que não.
Queres desabafar, por uma noite não queres ser o prazer de um alguém que nem o teu nome saberá.
Pedes-me uma Ode ao amor.
Agora sim gracejo te dou. Digo que uma Ode não te irei dar.
Cito-te uma frase escrita em tempos por mim:" O verdadeiro amor não é aquele que nos faz chorar no fim mas no início"
Nada e dizes, estás pálida - Que tens tu?
Não me respondes, lacrimejas.
Dou-te um lenço, agradeces.
Dizes-me que vendes o corpo em parte pelo prazer mas também pelo vazio de não teres quem te ame.
Perguntas quantas pessoas não se vendem por um afecto.
Não te respondo, vender-se-ão não recebendo dinheiro mas um beijo uma festa, etc.
Rematas com - Afinal quem é a puta?
Deixo-te enrolada em pensamentos.
Quanto a mim, volto ao meu lar pensando na saudade que me domina.
Adeus, puta, não a que se vende mas a que me inspira a escrever.
08 Setembro 2008

2 comentários:

zapper disse...

Não andaras tu a falar com a "puta" da vida???
Faz-me pensar que nesta vida nada se perde, tudo se transforma num negócio...

Ceu disse...

--<-@

Como comentar, como será possível comentar o "in, o id" de alguém? Apenas te digo que achei lindo, e que deves continuar, e mostra a tua escrita a alguém, para que deixes um sorriso no rosto das gentes que te conhecem e dos que não sabem o que perdem por não te conhecer. Não mudes, amigo..

Céu Ferreira